Alívio para cistite

Atualizado el08 de junho de 2018, 15:46

As infecções da bexiga são especialmente comuns em mulheres, cerca de 20% sofrem as suas queixas ao menos uma vez por ano. Coceira, ardor, dor ao urinar, necessidade e frequência das micções são alguns dos sintomas que provoca a cistite. Em alguns casos, a infecção torna-se crônica, e as bactérias podem tornar-se resistentes aos tratamentos habituais.

RECOMENDAÇÕES BÁSICAS

As causas podem ser, a partir de uma infecção pontual por resfriamento; uma diminuição de defesas por outro transtorno de saúde, alguns medicamentos como antibióticos; uma má higiene genital; depois de expelir pedras ou arenilla; ou o desequilíbrio hormonal, a partir da menopausa.

Relacionado com este artigo

PREVENÇÃO

É muito importante ter uma boa higiene para tratar qualquer infecção, e aumentar o consumo de água de mineralização baixa (entre 2 e 3 litros diários), para reduzir a concentração de bactérias responsáveis pela infecção.

O natuterapeuta Javier Mansa dá-nos alguns tratamentos eficazes. Em todo o caso, ao sofrer uma infecção das vias urinárias, é importante uma avaliação médica antes de iniciar um tratamento natural.

o que fazer se a infecção é pontual

  • Rabo de cavalo. É diurética (estimula a expulsão de líquidos através dos rins), cicatrizante, antihemorrágica, e relaxante dos ductos urinários. Se tomada em decocção (uma colher de sopa por copo de água, de 1 a 3 vezes ao dia), em extratos líquidos ou secos, em cápsulas ou comprimidos, de 1 a 3 vezes ao dia. Evitar em caso de insuficiência renal, prisão de ventre e durante a gravidez.

Relacionado com este artigo

Bons hábitos

  • Gayuba. É uma das plantas mais importantes para tratar infecções do trato urinário, pelas suas qualidades anti-sépticas e antibióticas, graças às metilarbutina e a arbutina, princípios ativos responsáveis por este efeito. Recomenda-Se em decocção (colher de sobremesa por vaso), de 1 a 3 vezes ao dia, ou em extratos líquidos ou secos, em cápsulas (350 a 450 mg de 1 a 3 vezes ao dia). Não se deve exceder mais de 15 dias sem fazer uma pausa. Pode dar leves perturbações digestivas, e irritação do trato urinário. Evitar durante a gravidez ou a amamentação.
  • Solidago. Tem virtudes diuréticas, cicatrizantes e desinfetantes das vias urinárias. Recomenda-Se em decocção das extremidades floridas (uma colher de sopa por copo, de 1 a 3 vezes ao dia), em extratos líquidos ou secos, em cápsula ou comprimido de 350 a 500 mg, 1 a 3 vezes ao dia. Evitar em insuficiência renal e durante a gravidez.

PLANTAS EFICAZES SE É CRÔNICA

  • Arando vermelho. Vários estudos têm demonstrado sua eficácia em infecções do trato urinário, tanto nas cistite agudas como crônicas. Seus benefícios se devem à sua capacidade para evitar a aderência de bactérias às paredes do trato urinário, e facilitar a sua expulsão. É usado o suco concentrado (meio copo, 1 ou 2 vezes ao dia). É usado para prevenir recaídas.

Relacionado com este artigo

Saúde Feminina

  • Hibiscus. Suas flores contêm princípios ativos (gossypitrina), com efeito diuretico, e antibacteriano muito eficaz. Além disso, é relaxante e anti-inflamatório dos ductos urinários. Aconselha-Se levar em extracto líquido ou seco (cápsula ou comprimido), de 250 a 400 mg, 1 a 2 vezes ao dia, durante 10 dias, descansar por 2 semanas, e repetir.

As lavagens naturais também ajudam

Prepara-Se em decocção da mistura de 30 g de rabo de cavalo, 30 g de tomilho, 40 g de gayuba, 20 g de sementes de linho e 40 g de solidago. Em um litro de água fervente, adicione 4 colheres de sopa da combinação destas plantas, deixar cozer durante 5 minutos, desligue o fogo, e tapada que reposen 10 minutos. Depois coar e, a uma temperatura ligeiramente quente, fazer uma lavagem genital.

Realizar a lavagem 1 ou 2 vezes ao dia, durante uma semana nas cistite aguda, e de 5 a 7 dias úteis por mês nas cistite crônicas.

Deixe uma resposta